UMA INSÓLITA PANCADARIA NO ESTÚDIO

O ano era 1980. Fazia uns 4 meses que havia sido inaugurada a TV Umbu, que era a sucursal da então TV Gaúcha em Passo Fundo (anos mais tarde a rede passou a se chamar RBSTV, e as sucursais passaram a ser designadas com o nome da rede e de sua cidade).

Os operadores de câmera do estúdio que faziam os telejornais locais também participavam das gravações de produções comerciais na emissora. E foi um deles, Antônio Raymundo (hoje dono de uma produtora de video em Porto Alegre) que me relatou este causo pra lá de curioso e engraçado.

Depois da gravação de um comercial para as Lojas Louvre, feita tarde da noite, a produção deixou no estúdio os manequins de vitrine usados como cenário. O material só seria levado de volta para a loja no dia seguinte.

Todos os funcionários foram para casa. Na TV, ficou apenas o segurança, que chegou depois de terminadas as gravações.

No meio da madrugada, ele deixou seu posto na portaria para fazer uma ronda pelas instalações.

Ao passar pelo estúdio, onde todas as luzes estavam apagadas, notou as silhuetas e não hesitou: sacou o revólver e se foi estúdio dentro:

– Parados aí! Mãos ao alto ou eu atiro!!

O intrépido vigia se jogou ao chão, ficando em posição de disparo, apontando para os vultos suspeitos. Como não houve resposta, se levantou num salto, enfiou decidido o revólver no coldre se lançou em violenta luta corpo a corpo com os invasores na escuridão do estúdio.

O barulhento entrevero chamou a atenção de um operador de áudio da Rádio Atlântida, que funcionava no mesmo prédio e estava no ar.

Assustado, este foi correndo até o estúdio. Acendeu as luzes e se deparou com a insólita cena do segurança corcoveando no chão, ferozmente atracado a um manequim que aquela altura já começava a se desmanchar.

Dá pra imaginar a cara do guarda ao descobrir quem eram os meliantes que ele heroicamente desafiou, naquela madrugada que entrou para os anais da TV Umbu.