UM LEÃO À SOLTA NA TV!

Essa é dos tempos em que a então TV Gaúcha (hoje RBSTV) tinha uma central de produções onde eram gravados comerciais para os patrocinadores da programação.

A missão naquela noite era produzir um institucional sobre o Imposto de Renda.

O roteiro exigia um leão de verdade para as imagens.  No estúdio!

A produção arrumou um legítimo rei da floresta num circo que estava de passagem pela capital.

As gravações foram marcadas para meia noite, horário em que seria mais “seguro” levar um  predador daqueles para dentro da emissora.

Na hora marcada chegou o domador trazendo aquele baita bichão.

Já era um veterano, mas metia medo como todo leão que se preze. Ainda mais pra cima daquele povo que nunca tinha visto um tão de perto.

Enquanto o domador passava conduzindo sua majestade com uma guia presa no pescoço, os técnicos da TV iam se afastando o máximo que podiam, com olhares amedrontados, colados nas paredes como lagartixas apavoradas.

Ele  procurou amenizar o clima:

– Calma pessoal, ele é tranquilo. Dei um monte de carne pra ele antes de vir pra cá. Tá embuchado e satisfeito.

E concluiu com um sorrisinho safado:

– De pança cheia, ele não vai comer ninguém hoje à noite, podem trabalhar numa boa…

Óbvio que aquilo não convenceu ninguém. Mas enfim, o trabalho tinha que ser feito.

O domador acomodou o leão num canto do estúdio.

Naquele tempo a iluminação era feita com os chamados ”panelões” , luminárias enormes de luz incandescente que geravam muito calor. Estava frio, e logo o leão se aconchegou para uma confortável soneca.

O pessoal técnico ficou no fim do corredor que dava para a rua, pitando seus cigarros e  aguardando as ordens da produção. O assunto, claro, era o tal leão. “Será que não vai dar merda?”, era o tom do papo.

Conversa vai, conversa vem, um deles olha para a penumbra no fim do corredor que leva ao estúdio e vê uma enorme silhueta vindo lentamente na direção deles.

A tênue luz do luar que entrava por uma das janelas revelou a forma da ameaça. E detonou o pânico que ecooou pelo prédio todo:

– CARAAAALHO, OLHA A PORRA DO LEÃO VINDO ALÍ!!

Todos saíram correndo desesperadamente e aos berros para o estacionamento, procurando algum lugar para escalar.

O leão para na porta, meio pachorrento, olha para os lados, dá um enorme e demorado bocejo exibindo os dentões e se deita. O domador chega com a maior calma do mundo, faz um cafuné na juba e leva o bicho de volta para o estúdio, puxando pela “crina”.

– Tranquilo pessoal, ele só tava curioso. Tá tudo sob controle…

As gravações transcorreram normalmente, e como previra o domador, ninguém foi comido naquela madrugada.

Mas alguns certamente devem ter sujado as calças…