GUTO TEIXEIRA

GUTO TEIXEIRA começou como Office-boy na RBSTV em 1990. Naquela época já tinha certeza que seria seu primeiro degrau rumo à carreira de repórter cinematográfico.

Passou a operador de VT de externa, função que ocupou por vários anos, até ir para a BandRS, onde o então chefe de telejornalismo Marco Antônio Villalobos, ex-colega de RBS, o promoveu a cinegrafista. Guto ainda teve uma passagem pela UlbraTV antes de retornar à RBSTV, onde atua até hoje. Com forte participação nas reportagens para a Rede Globo, tem no currículo prêmios importantes como o ESSO , ARI , Ministério Público, Direitos Humanos, Tim Lopes e várias premiações internas.Sempre em busca da melhor imagem, Guto reverencia cinegrafistas que são suas referências profissionais: Lacê Cirne, Renato Diehl, Celso Rodrigues, Getúlio Vargas, Jair Alberto e especialmente André Maciel. E entre os repórteres, Rosane Marchetti, Ana Mota, Patrícia Cavalheiro e André Azeredo.

. A imagem mais difícil que já gravou

Precisei fazer uma espécie de oca e pedir para os demais integrantes da equipe e biólogos se retirarem para me deixar sozinho. De dentro da oca, em total silêncio gravei um tucano com muita riqueza de detalhes.

. O pior momento para um cinegrafista

É quando a bateria está acabando e ainda falta gravar algo importante.

. A imagem mais gratificante

Complicado… Poderia dizer que seria a imagem e o som de um bloco gigante se desprendendo de uma geleira ou a notícia que impacta diretamente na vida das pessoas , como alguém se passando por deficiente para fraudar o INSS.

. O maior perigo que já enfrentou trabalhando

Em uma das vezes que me disfarcei de mendigo, fui notado porque o visor da pequena câmera iluminou meu rosto. Fazia muito frio e eu estava há muitas horas sentado junto a moradores em situação de rua. Alguns deles ameaçaram me bater. Eu não tinha como reagir pois estava com câimbras, Fui para o diálogo, ” Calma que não é nada com vocês… ” Aos poucos se acalmaram e pude continuar o trabalho. Mas foi tenso !

. O maior defeito de um cinegrafista?

Talvez seja não perceber a sua importância no todo , conversar com repórteres, editores de texto e de imagem , fazer com que o mais básico seja o especial do dia no seu telejornal.Bah,,vou escrever o meu sentimento: quando falta confiança no cinegrafista me incomoda muito . Pedir e ou sugerir imagens específicas,tudo certo. O problema é obrigar o cinegrafista a fazer todas as imagens que o repórter acredita serem as melhores. Pode ser vaidade, mas me incomoda um pouco .

. E de um repórter?

Com o tempo todo repórter entende o real valor da imagem para sua matéria. Em alguns casos a falta de experiência leva a crer que o texto é o mais importante, mas como contar a história sem as imagens? Se as imagens forem lindas , feitas com tempo e talento, o texto fica divino. Mas só a experiência dá isso .

.  Câmeras modernas salvam cinegrafistas limitados?

Não , o cinegrafista bom mesmo, na minha opinião, conta com imagens a história que quiser. Independe da ferramenta .

. O cinegrafista deve interferir na edição?

Interferir não , auxiliar e orientar onde está aquele take que é o melhor, aí sim! E outra: seja muito amigo do editor! Fica esperto!

. Como a tecnologia está influenciando no papel do cinegrafista?

A alma do cinegrafista é a mesma de sempre: a vocação. O avanço tecnológico é saudável, facilita, não tem que lutar contra. Sempre vem para facilitar.

. O que é mais importante no olhar do câmera?

Eu procuro mostrar o que todos precisam ou querem ver, e não só o meu ponto de vista. É difícil fazer essa média, mas não basta ficar claro para mim , tem que ser claro para o telespectador.

. Cinegrafista mulher tem espaço?

Lógico , só por percepção acredito que a estrutura física feminina sofra mais ao longo dos anos carregando um equipamento de 8kg ou mais. Mas talento independe do sexo.

. Há diferença em trabalhar com repórter homem ou mulher?

Quando o repórter é bom, tu nem te dá conta se é homem ou mulher. É bom e ponto .

. Que peso o cinegrafista deve ter na construção da reportagem?

Nunca pensei nisso, mas o certo é que televisão é imagem. Então deve pesar muito a participação do cinegrafista na construção da matéria.

. Dica para cinegrafistas novatos

Você pode ser mais um e permanecer na sua empresa até se aposentar tranqüilo. Ou  pode tentar fazer a diferença,  arriscar, abusar, correr riscos, ser melhor que você mesmo a cada dia.

. E para repórteres novatos?

Confiem nos repórteres mais experientes. Não caiam na armadilha de rivalidade, achando que aquele  colega já está ultrapassado. É um equívoco, tenha certeza! Ouça, observe, questione, mas não duvide que esse cara com experiência já realizou matérias que você algum dia virá a fazer. E uma conversa com ele pode clarear seu caminho .

. Qual é o tipo de reportagem mais desafiadora?

Fazer campana , para comprovar algum tipo de crime ou abuso é bem difícil , precisa ter paciência e sorte . A chefia de reportagem tem que respaldar o sucesso ou fracasso dessa missão.

. Como percebe o olhar dos editores e dos chefes de reportagem sobre o trabalho dos cinegrafistas?

Quando menino, eu via matérias do Jair Alberto, Gilmar Tedesco, Milton Cougo, Renato Dhiel, Beto Tormes, e percebia os diferentes olhares em determinadas situações. Esses caras sem saberem estavam me conduzindo à minha vocação.

. O telejornalismo mudou?

Ficou mais rápido. Na essência é o mesmo: apuração, investigação, imagens. Mas precisa cada vez mas de equipamentos que possam transmitir quase instantaneamente algumas informações, se não, passou…Ficou velha .

. As emissoras de tv usam cada vez mais imagens feitas com celulares, câmeras amadoras e de segurança. Isso preocupa?

Não preocupa não! Às vezes é uma imagem dessas que dá início a grandes reportagens. Me serve muito!