OS CAMINHOS E CONQUISTAS DA TVE/RS

Não é nada fácil a vida das emissoras públicas, todo mundo sabe.  Ainda mais no caso da TVE/RS, que vive um delicadíssimo momento de transição. Presidi esta instituição e conheço bem as dificuldades de manter no ar com qualidade uma emissora de TV que depende de parcos recursos públicos e tem elevado custo de operação.

Por isso merece muitos aplausos a conquista do 4º. Prêmio José Lutzenberger de Jornalismo Ambiental. A emissora gaúcha venceu 4 dos 5 prêmios na categoria telejornalismo. Não é pouca coisa.

O primeiro lugar foi para o programa de reportagens especiais TVE Repórter (atualmente o único programa do gênero entre as emissoras gaúchas) conduzido por Nilton Schuler, com equipe formada por Rogério Pinto de Andrade, Arsênio Duarte, Luiz Henrique, Daniela Bonamigo e Léo Nuñez.

O 4º. Lugar foi para o Cidadania, programa veterano da emissora. A equipe agraciada foi formada por Cristina Charão, Lena Ruduit, Lucio Born, Ademar Izaguirres, Rogério Tavares, Luis Carlos Aguilar, Nilton Flores e Henrique Goulart.

Mas um dos aspectos mais interessantes desta premiação está nos 3º. e  5º. lugares, conquistados por episódios da série de documentários Ecodesafio, realizados pela Casa de Criação, produtora independente dos jornalistas Gilberto Lima e Celina Carvalho. A parceria com a TVE, que contemplou a produção de 13 programas (de onde saíram os dois premiados), foi viabilizada com recursos da Lei Rouanet, apoio da Celulose Riograndense e também da Associação dos Amigos da Fundação Piratini.

As parcerias são uma excelente alternativa para as TVs públicas, pois conseguem agregar à sua grade de programação existente outros conteúdos de qualidade com modalidades de gestão mais ágeis que os processos convencionais do setor público.