A WEB E A REINVENÇÃO DE UM JORNALISTA

Um dos mandamentos mais repetidos pelos especialistas é o que diz que o profissional que não encontra mais oportunidades na sua área precisa se reinventar.

Para os jornalistas e pessoal da comunicação em geral isso tem sido uma cruel imposição diante das mudanças de cenário nesta área.

As redes sociais tem sido uma alternativa muito estimulante, embora nem todos consigam navegar bem no oceano virtual e muito menos encontrar um porto seguro.

Mas há muitos exemplos de como uma repaginada pessoal pode abrir novos caminhos para profissionais desanimados com a falta de chances nos veículos de comunicação, assessorias, etc.

O caso do jornalista Marco Sperotto Jr. é um ótimo exemplo. Depois de atuar por 15 anos no esporte da RBSTV, e com passagens pela Globo, Record e Sportv do Rio de Janeiro, ele sentiu que precisava se reinventar para ficar vivo no mercado.

O pontapé inicial veio com a paixão pelo futebol e pelo Grêmio.

“ A inspiração veio num um encontro com o meu ex- colega de RBS Fabiano Baldasso, em um curso de mídias sociais em Porto Alegre. Conversando e ouvindo suas falas no evento, me caiu a ficha de que não havia na web um jornalista identificado com o Grêmio.”

Marco já havia percebido que a web era o campo mais animador e passou a investir em cursos voltados para mídias sociais. Aprendeu a lidar com recursos do Facebook como o Blue Print e assistiu dezenas de tutoriais disponibilizados na rede por profissionais qualificados.

Aos poucos, foi desenvolvendo técnica e método no uso das plataformas digitais. Quando sentiu que estava pronto, criou uma página no Facebook, buscando se diferenciar dos canais similares.

 

“ Diferente dos sites especializados, a página não tem o propósito de trazer notícias em primeira mão ou trabalhar com notícia. Não há como concorrer com sites especializados das grandes empresas que possuem equipes de reportagem diariamente na cobertura dos acontecimentos. Minha proposta é fazer repercussão e dar opinião de forma direta, objetiva, sincera e com posicionamento definido”.

UMA VIRADA TOTAL NO JEITO DE TRABALHAR

Depois de uma trajetória profissional em TV com todos os recursos técnicos disponíveis, Marco teve que se adaptar ao modelo “uma idéia na cabeça e um celular na mão”. Apostando no jornalismo com linguagem de torcedor, como ele mesmo define seu modo de trabalho, abriu mão dos padrões a que estava acostumado para se transformar num novo profissional.

“Cenários sofisticados, bancadas e todo o aparato de uma emissora de TV não tem proximidade com as pessoas. O vídeo gravado com o celular, com o cachorro latindo e teu filho pequeno pulando do lado te transforma em pessoa comum, a vida como ela é e como as pessoas são. Isso aproxima, identifica e faz o torcedor te ver como um amigo e uma espécie de porta voz da torcida. O importante é que tudo isso seja natural.”

Ele monitora permanentemente a audiência com os recursos do próprio Facebook. Com base nas avaliações instantâneas, prioriza as postagens com mais engajamento e descarta as que não produzem bons resultados.

“O somatório do histórico da página dá uma visão ampla e os resultados de cada vídeo me permitem avaliar pontualmente. Estar atento aos demais veículos que trazem a informação fazem com que nenhum assunto relevante passe despercebido. A frequência das postagens precisa obedecer uma certa regularidade e lógica. É uma informalidade organizada.”

O PLACAR DO SUCESSO

Marco quase não acreditou na repercussão inicial. O que começou como uma jogada despretensiosa se revelou um golaço.

“A explosão da página se deu logo no início. Confesso que meu primeiro comentário foi apenas um teste para ver se faria algum sentido apostar nesse novo formato. Gravei um vídeo depois do jogo contra o Fluminense pela Copa do Brasil, há cerca de 4 meses. Postei e fui dormir.  No outro dia, fui conferir o que havia acontecido e vi que o comentário havia atingido a timeline de 64 mil pessoas”

O número surpreendente trouxe a convicção de que ele havia feito a aposta certa. Com apenas quatro meses desde o primeiro vídeo,  o placar da página Marco Sperotto Júnior  mostrava o impressionante número  8.397.465 , a quantidade de timelines onde os vídeos foram disponibilizados.

“Com este resultado, em pouco tempo consegui atrair anunciantes. Já são quatro, e continuo sendo sondado por empresas interessadas em fechar algum tipo de parceria e anunciar na página“.

Nada mal para quem se lançou nesta empreitada sem saber exatamente o que iria acontecer.

Desde 1° de Novembro, a página está com novo layout, outro logotipo, incorporação de Cards próprios com conteúdo e inserção gradual do Instagram no processo.

Com sua reviravolta profissional, Marco provou que vale a pena jogar para a torcida.